Fios de sustentação: Cirurgia dos fios

Com o passar dos anos, uma das consequências indesejadas do envelhecimento é a flacidez da pele. Uma solução são os fios de sustentação, indicados para quem quer corrigir esse efeito da pele promovendo o levantamento dos tecidos e produção de colágeno. O procedimento dos fios melhora a elasticidade da pele, além de manter a aparência natural.

O método de rejuvenescimento é rápido, pode levar de 30 a 45 minutos e é indicado para pessoas que não possuem grau alto de flacidez, pele muito fina ou grossa. Diante disso, somente uma avaliação médica presencial poderá recomendar ou não o procedimento.

Um dos grandes benefícios do procedimento é a durabilidade, sendo que o resultado pode durar até dois anos, dependendo das características de cada paciente, assim como a alimentação e cuidados com a pele.

Os fios se degradam a cada 18 meses e para manter o efeito de rejuvenescimento é necessário repetir o procedimento. Mesmo com a absorção dos fios após esse período, o colágeno que foi produzido pelo ácido polilático permanece nos tecidos e estimula a desaceleração do envelhecimento.

 

O que são os fios de sustentação?

Os fios de sustentação são colocados dentro da pele, levantando a parte caída e produzindo uma nova forma e contorno facial, são indicados para homens e mulheres entre 35 e 60 anos que perderam algumas características da pele em decorrência da flacidez.

Os filamentos, são verdadeiros fios colocados dentro da pele, produzidos com ácido polilático que possuem substâncias que estimulam os fibroblastos, responsáveis pela produção celular do colágeno, reproduzindo em uma melhora na firmeza e na elasticidade da pele.

Os fios de sustentação podem ser aplicados em diversas regiões, como:

  • Suspensão das sobrancelhas;
  • Bigode chinês;
  • Canto da boca;
  • Contorno da mandíbula;
  • Linhas de “marionete”;
  • Dobras nasolabiais;
  • Pescoço;
  • Levantamento da testa;
  • Umbigo.

No Brasil existem dois tipos de fios de sustentação, os fios PDO que são feitos de polidioxanona e o seu principal efeito é a produção de colágeno. Esses fios contraem as fibras da pele e acabam contraindo a própria pele também.

O outro fio é polilático, é mais resistente e maior, sua substância tem um tempo maior de absorção, gerando maior duração. Ambos os fios, são inseridos na face, ancorados na membrada que reveste o osso.

 

Como funciona o procedimento?

O procedimento é realizado por meio de anestesia local, podendo ser feito até mesmo no próprio consultório médico. Os fios são aplicados por meio de cânulas e agulhas, dependendo do grau de flacidez do paciente, são utilizados de 4 a 8 filamentos.

Geralmente, o cirurgião utiliza uma microcânula que por ser fina, ocasionam mínimas perfurações, que descartam a necessidade de haver incisões.

A elevação do tecido pode ser vista de imediato, mas o resultado final é alcançado de 40 a 60 dias após o procedimento, período em que os fios se acomodam nos tecidos.

 

Cuidados e pós-tratamento

É indicado durantes as primeiras 48 horas após o procedimento que o paciente faça compressas de geladas para ajudar o organismo a combater o inchaço e possíveis hematomas. Como qualquer procedimento estético, os fios de sustentação podem deixar a pele um pouco avermelhada ou até mesmo inchada, mas os efeitos costumam desaparecer em poucos dias.

Durante algumas semanas, o paciente deve evitar dormir de bruços para que a cabeça fique elevada e não corra o risco de pressionar o rosto na região que em foi realizado o procedimento.

Algumas atividades podem colocar em risco os resultados do procedimento como o deslocamento dos filamentos, portanto, evita-se a realização de massagens faciais, limpeza de pele e cirurgias dentárias até pelo menos três semanas após o período do procedimento estético.

 



Leia Mais