7 fatos sobre o câncer de mama que toda mulher deve saber

7 fatos sobre o câncer de mama que toda mulher deve saber

Outubro Rosa é comemorado ao redor do mundo e é o movimento popular cuja função é disseminar informações importantes sobre o câncer de mama. Embora as informações pertinentes sobre a doença devam ser difundidas o ano todo, as orientações sobre a prevenção tomam proporções ainda maiores neste mês.

Por esse motivo, dedicamos o artigo de hoje a passar 7 fatos sobre a doença, incluindo a prevenção, que toda mulher deve saber. Confira.

 

1. Sintomas iniciais do câncer de mama

O que faz do câncer de mama uma doença tão agressiva é que, em seus estágios iniciais, ele é totalmente assintomático. Isso significa que a mulher não sente dor e, tampouco, percebe quaisquer alterações.

Por esse motivo, os exames de prevenção são muito importantes, pois a doença é descoberta na mamografia, ultrassom de mama ou ressonância magnética.

 

2. Sintomas tardios do câncer de mama

Geralmente, quando a mulher começa a sentir alguns dos sintomas, a doença já se encontra em um estágio que exige mais atenção. Os principais sintomas e alterações que merecem ser investigados são:

  • Dor no seio;
  • Presença de nódulo nos seios e/ou região das axilas;
  • Inversão do mamilo acompanhado de dor;
  • Presença de secreção, transparente ou com sangue, no mamilo, acompanhada ou não de dor;
  • Inchaço da mama, com presença ou não de vermelhidão e aumento da temperatura local, entre outros.

3. O autoexame

Uma vez por mês, toda mulher deve fazer o autoexame. É por meio dele que se percebe a presença de nódulos ou outras alterações. Quando isso acontece, é imprescindível marcar uma consulta médica para investigação.

A partir dos 40 anos, é necessário que a mulher realize o exame de mamografia pelo menos uma vez ao ano como forma de prevenção da doença.

 

4. Casos de câncer de mama na família

As mulheres que possuem casos de câncer de mama na família, principalmente mãe ou avó, devem fazer um acompanhamento com maior frequência. No entanto, o fato de haver outras mulheres com a doença na família não significa que a mulher também a terá.

 

5. Outras origens de câncer de mama

Mulheres que não possuem casos de câncer de mama na família também podem desenvolver a doença. Alguns fatores como: uso de pílula anticoncepcional, reposição hormonal, obesidade, entre outros, podem contribuir para o surgimento de nódulos, que podem ou não serem malignos.

 

6. Tratamento para o câncer de mama

Após diagnosticado, o tratamento para o câncer de mama pode ser clínico ou cirúrgico. A mastectomia, cirurgia para retirada da mama, pode ser parcial ou total. A quimioterapia ou radioterapia poderão ser realizadas depois da retirada da mama.

 

7. Reconstrução da mama

As mulheres que passaram por mastectomia parcial ou total poderão ter a mama afetada reconstruída com perfeição. O cirurgião plástico examina cada caso e define que tipo de implante mamário é o mais indicado para recuperar a autoestima da mulher e permitir que ela leve uma vida normal.

Lembre-se que o melhor remédio para qualquer doença é a prevenção. Consulte seu médico regularmente.



Leia Mais